Pular para o conteúdo principal

Comissão de Redenção entrega Abaixo-assinado na ALEPA, Barbosinha vai junto

Cópia de parte do Abaixo-assinado original entregue em abril de 1979 na ALEPA
Foto Histórica da comissão que entregou a Abaixo-assinado nas mãos do então deputado estadual Plinio Pinheiro à direita, na sequencia, Luiz Vargas Dumont, Terezinha Arantes Dumont e Areolino Nunes Leal (Barbosinha).

A comissão que entregou o Abaixo-assinado na Assembleia Legislativa do Estado do Pará, nas mãos do então deputado estadual Plínio Pinheiro Neto, solicitando a criação do município de Redenção era composta por três grandes lideranças: Areolino Nunes Leal (Saudoso, Barbosinha) pioneiro que lutou incansavelmente para que o município se tornasse independente de Conceição do Araguaia, Terezinha Arantes Dumont que mais tarde se tornaria a 2ª primeira dama, Luiz Vargas Dumont 2º prefeito eleito de Redenção. O Abaixo-assinado, que levava a assinatura de Luiz Vargas, foi transformado em processo de nº 48/79 autuado em 18/04 de 1979. Esse documento foi fundamental e decisivo para que Redenção se desmembrasse de Conceição do Araguaia e se tornasse hoje a mais importante cidade da Região do Araguaia. (João Lúcio, Nossa História, Nossa Cidadania)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Fui embora de Redenção porque fui perseguido e temia pela minha vida” Revela professor

Em entrevista exclusiva ao JL & Você o professor, José Alves Lordeiro, autor da letra e da melodia do Hino Oficial de Redenção, fez várias revelações inéditas sobre sua passagem pelo município. Ele está morando atualmente em Macapá capital do Amapá e, aos 67 anos, alimenta o sonho de voltar a morar em Redenção. Ele também falou como criou a letra e a melodia do hino do município redencense.
JL & VC: Como foi o processo para o senhor compor o hino de Redenção?
José Lordeiro: Em 1983 foi lançado um concurso para escolher o Hino de Redenção. Foram apresentadas 06 composições e a de Minha autoria acabou sendo a escolhida.
JL & VC: O que o inspirou na composição da letra e da melodia?
José Lordeiro: Como inspiração levei em conta: a população da época, era predominantemente de outros Estados, os neo bandeirantes, as riquezas eram a madeira- hulha verde, o ouro - nobre metal; a força do comércio fundindo-se à indústria; por fim a segurança do futuro representada pelos jovens estudan…

"Eu seria o melhor prefeito de Redenção" garante autor da primeira assinatura

Quando utilizou uma caneta para assinar o nome na primeira linha de um dos mais importantes documentos da história de Redenção, o empresário, contador e político, Mariosval Dueti Rezende Silva, talvez nem tivesse a intenção de um dia pleitear o cargo de prefeito de Redenção.   Mas além de ser o autor da primeira assinatura no Abaixo-assinado que foi fundamental para que Redenção fosse emancipada em 13 de maio de 1982, vale ressaltar que Dueti, foi quem redigiu o documento que fora assinado por Luiz Vargas e ele mesmo saiu às ruas para coletar assinaturas dos moradores. Posteriormente ele entrou para a história do município como vereador, e alguns anos depois como prefeito eleito do município filho de Redenção, Pau D’Arco. Na ultima eleição Mariosval disputou a prefeitura de Redenção. Em seu discurso ele garantia que seria o melhor prefeito da história do município. Ele baseava seu discurso na administração positiva que fizera no município vizinho, Pau D’Araco, principalmente na área da …

Rio Maria e Xinguara eram para serem Distritos de Redenção

O Projeto de Lei que criava o município de Redenção, de autoria do então Deputado Estadual Plínio Pinheiro Neto, colocava Rio Maria e Xinguara como Distritos de Redenção. À época, o então governador Alacid Nunes, chamou o deputado em seu gabinete e pediu para modificar o projeto, transformando Rio Maria e Xinguara também em municípios emancipados. A justificativa do governador era de que recebera abaixo-assinado das duas vilas pedindo a emancipação.  Plinio, que era vice-líder do governo na Câmara, concordou e é por isso que os três municípios foram criados no mesmo dia, 13 de maio de 1982.   (João Lúcio Nossa História, Nossa Cidadania)